logo
Últimos Avisos
data
06/05/2014
DOAÇÃO
data
07/02/2014
Celebração do 36º aniversário da ARLS Renascença
Celebração do 36º aniversário da ARLS Renascença

Avisos
Selecione outros avisos: 
Celebração do 36º aniversário da ARLS Renascença
Santo André, 07/02/2014.

Descrição: Simbolo loja 219.jpgAug.`. E RESP.`. LOJ.`. SIMB.`. RENASCENÇA, 219

Sob Jurisdição da Grande Loja Maçônica do Estado de São Paulo

Fundada em 28 de janeiro de 1978.

 

 

 

Sessão magna branca

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Jubileu de cedro

36 anos de fundação

 

 

 

05 de fevereiro de 2014 da E.`.V.`.

ORDEM DO DIA

 

Entrada de Visitantes Profanos

Entrada de Lowtons

Entrada das Autoridades

Entrada do Pavilhão Nacional

 

VEN.'. -- Caros presentes, em nome da Aug.'. e Resp.'. Loj.'. Renascença, nº 219, filiada à GLESP, dou-lhes as boas vindas, na expectativa de que os trabalhos de hoje sejam os mais agradáveis, e que ao final lhes propiciem a mesma satisfação que temos pelo vosso comparecimento.

VEN.'. -- (*) Porque nos reunimos aqui hoje, Ir.'. 1º Vig.'.?

1º Vig.'. -- Para comemorarmos os trinta e seis anos de existência desta Aug.'. e Resp.'. Loj.'. constituída à G.'.D.'.G.'.A.'.D.'.U.'..

 

VEN.'. -- Qual a finalidade desta comemoração, Ir.'. 2º Vig.'.?

2º Vig.'. -- Para demonstrar que uma associação fundada e estabelecida com base no amor e na fraternidade poderá ser eterna, e propiciar aos seus participantes, inúmeras satisfações e alegrias.

VEN.`. – Ir.`. 1º Diac.`., podeis por gentileza nos lembrar qual é o símbolo dos 36 anos e qual o seu significado para nós?

1º Diac.`. – (em pé) Este é o nosso Jubileu de Cedro, e este é o simbolismo desta data.

Sabemos que o Cedro do Líbano cresce muito devagar, mas pode atingir até 40 metros de altura. Nos primeiros 3 anos de vida, o Cedro cresce cerca de 5 centímetros apenas, porém as suas raízes neste início de vida pode chegar a 1,5 metros. Somente a partir do quarto ano, quando as raízes já estiverem bastante fortes, é que a planta começa seu crescimento. O maçom, em parte pode ser comparado com o Cedro, pois exibe a promessa de crescimento, mesmo que seja lento. O importante para nós não é a velocidade com que se cresce e nem a altura que possa atingir, o mais importante é a raiz formada, para que possa sustentar qualquer que seja o esforço exigido. O crescimento interior é geralmente mais funcional do que as aparências externas, desta maneira conclui-se que para tornar feliz a humanidade, precisamos nos sedimentar, criar raízes no conhecimento, estar seguro nos princípios e praticar o bem, influenciando positivamente a sociedade e revolucionando, mesmo que vagarosamente, como o Cedro do Líbano.

VEN.'. -- Ir.'. Orad.'., podeis por gentileza nos relatar sobre o surgimento desta Loj.'., desde os seus primórdios.

VEN.'. -- (*) Atenção por favor.

Orad.'. – (o Ir.’. Orad.’. faz a leitura)

VEN.'. -- Ir.'. Secr.'., quem foram os valorosos IIr.’. que passaram a obedecer à GLESP, a partir da regularização da Loja Renascença?

Secr.'. – Em 19 de janeiro de 1980 foi dada entrada na Grande Loja do Estado de São Paulo, um Pedido de Regularização da então Loja Gloria de São Paulo, por esta estar desligada da sua antiga Potencia, com sede em Manaus.

Este Pedido foi deferido em 31 de janeiro de 1980, no entanto a data considerada de fundação continuou e continua até hoje sendo de 28 de janeiro de 1978, quando na verdade foi fundada a Loja Glória de São Paulo.

Os 41 IIr.’. que assinaram este pedido de regularização foram os seguintes:

Antonio Lima da Silva

Antonio Aparecido de Moraes

Antonio Correa

Celso Franco de Andrade

Cicero da Silva

Djalma Muniz

Durvalino Jaloretto

Esdras Alves da Silva

Edson Ferreira Lopes

Fernando Cezar Cardoso

José Pereira Damaceno

João Angelini

José Acir Batista

Antonio Carlos Munhoz

Agapito Ferreira Santana

Adinelson Dias da Silva

Cicero Romão de Araújo

Daniel José de Souza

Dilson Nardelli

Eraldo Balbino de Oliveira

Edson Hidalgo Calixtro

Fernando Lopes Domingues

Hogart de Almeida Gomes

Jorge Luiz Jordão

José Aparecido de Souza

José Romão de Araújo

Mario Arthur Figueroa

Marcos Antonio de Paiva

Norival Alto Cruz

Olécio Padovani

Rubens Rodrigues

Tiago Barbosa dos Santos

Vicente Mariano

Ciriaco Izidoro Junior

Maurício Gomes Pires

Mario Teixeira Doria

Otoniel Chagas Sobrinho

Karl Georg Heins Drittlhuber

Sérgio Pinto Mourão

Ubiratan Ramos de Oliveira

Izaltino Manoel de Campos

 

VEN.'. -- Ir.'. Chanc.'., dos fundadores mencionados, algum é ainda Ir.'. regular do quadro desta Loj.'.?

Chanc.'. – (em pé) Sim V.'.M.'., ainda são regulares nesta Loja dois dos fundadores, que são o Ir.'. Fernando Lopes Domingues e o Ir.'. Durvalino Jaloretto.

VEN.'. -- Ir.'. Chanc.'., nestes 36 anos, existiram IIr.'. que faleceram enquanto eram regulares nesta Loj.'.?

Chanc.'. – (em pé) Sim V.'.M.'., já passaram para o Or.'. Eterno alguns IIr.’. do nosso quadro, enquanto ainda eram regulares e ativos.

VEN.'. -- (*) Todos de pé, para que possamos render à esses IIr.'. o nosso preito de saudade.

(começa música apropriada e baixa a Luz, deixando somente o Teto e altares e colunas).

(o Ir.'. Chanc.'. lê pausadamente o nome de cada Ir.'. falecido. Terminada a Leitura, pára a música e acende novamente as Luzes).

VEN.'. -- (*) Sentemo-nos.

VEN.'. -- Ir.'. Orad.'., nestes trinta e seis anos de atividade, quais foram os VV.'.MM.'. desta Loj.'.?

Orad.'. -- Os VV.'.MM.'. e seus respectivos anos de trabalho foram os seguintes:

(inicia uma música de fundo)

Daniel José de Souza, 1978/1979;

Fernando Lopes Domingues, 1979/1980, 1980/1981 e 1981/1982;

Antonio Lima da Silva, 1982/1983;

Adinelson Dias da Silva, 1983/1984;

Durvalino Jaloretto, 1984/1985;

Gilson Félix de Araújo, 1985/1986;

Marcos Antonio de Paiva, 1986/1987;

Antonio Di Prófio, 1987/1988;

Estepan Willian Yousseph, 1988/1989;

Antonio Carlos Jaloretto, 1989/1990;

Izaltino Manoel de Campos, 1990/1991;

Pedro Grégori, 1991/1992;

Claudinê Jacintho dos Santos, 1992/1993;

João Teixeira, 1993/1994;

Antonio Andrade dos Santos (Tuniquinho), 1994/1995;

Rubens Akira Tariki, 1995/1996;

Vagner Gomes da Silva, 1996/1997;

Fausto Piedade, 1997/1998;

Desiré Carlos Callegari, 1998/1999;

Arthur Lothammer, 1999/2000;

Nilton Angelo Lorandi, 2000/2001;

Luís Carlos Spíndola, 2001/2002;

Sérgio Marques de Souza, 2002/2003;

Nelson Guidorizzi Filho, 2003/2004;

Petrúcio Sebastião Alves, 2004/2005;

Geraldo Reple Sobrinho, 2005/2006;

José Maida, 2006/2007;

João Maria de Oliveira, 2007/2008;

Wiliam Buíssa, 2008/2009;

Paulo Maradei Simões, 2009/2010;

José Eduardo Ramalho Negrão, 2010/2011;

Valter Michelini, 2011/2012;

Ediclan Antonio Pepeliascov, 2012/2013.

(termina a música de fundo)

Eis V.'.M.'. a relação dos valorosos IIr.'. que ocuparam o cargo de V.'.M.'. desta Loj.'. desde a sua fundação.

VEN.'. -- Ir.'. 1º Vig.'., gostaria de se manifestar?

1º Vig.'. -- Sim V.'.M.'., com a vossa permissão gostaria de citar os IIr.'. desta Loja que foram distinguidos com o Título de Maçom Emérito, que pelo seu contínuo labor e inusitado desprendimento foram agraciados por esta Loj.'. e pela GLESP, e que são os IIr.'. Fernando Lopes Domingues, Durvalino Jaloretto, Antonio Di Profio, Antonio Carlos Jaloretto, Sergio Marques de Souza, Wiliam Buissa, e mais recentemente também já reconhecido o Ir.'. João Maria de Oliveira.

VEN.'. -- Em homenagem a estes IIr.'., peço uma bateria incessante.

VEN.'. -- Ir.'. 2º Vig.'., gostaria de se manifestar?

2º Vig.'. -- Sim, V.'.M.'., com vossa permissão gostaria de citar também os nomes dos IIr.'. desta Loj.'., que pelo seu valor e desempenho na Ordem, foram escolhidos para participarem de cargos na Administração da GLESP, e que são os IIr.'. Antônio Di Profio, João Teixeira, Rubens Akira Tariki e atualmente nosso Ir.'. Petrúcio Sebastião Alves.

VEN.'. – Proponho uma bateria incessante para estes IIr.'. tão dedicados à Ordem.

VEN.'. -- Ir.'. Past.`. Mast.'., gostaria de se manifestar?

Past.`. Mast.'. -- Sim V.'.M.'., com a vossa permissão, gostaria de homenagear o Past.'. Mast.'. mais antigo, ativo e regular desta Loj.'., que é o Ir.'. Fernando Lopes Domingues.

(Neste momento o Ir.'. M.'. CCer.'. irá buscar o Ir.'. Fernando, conduzindo-o à frente do trono, em seguida irá buscar um Lowton que fará a entrega do presente. O Ir.'. Past.'.Mast.'. atual diz algumas palavras para homenagear e, em seguida, o Lowton entrega o presente, seguido de bateria incessante)

(todos voltam aos seus lugares).

VEN.'. -- E vós, que sois o M.'.I.'. mais antigo desta Loj.'., Ir.'. Fernando, gostaria de se manifestar?

M.'.I.'.-- (manifesta-se a vontade)

VEN.'. -- Agora queremos homenagear o nosso Ir.'. Durvalino Jaloretto, por ter sido, ao lado do Ir.'. Fernando, fundador da Loja Renascença e por ainda ser ativo e regular em nossa Loj.'..

(um Lowton entrega o presente do Ir.'. Durvalino)

VEN.'. -- E vós, Ir.'. Durvalino, que sois também fundador desta Loj.'., podeis se manifestar a vontade.

(Ir.'. Durvalino se manifesta a vontade)

VEN.'. -- E vós, caro Ir.'. Apr.'......, gostarieis de vos manifestar?

Apr.'. – (em pé, do seu lugar) Sim V.'.M.'., com vossa permissão, gostaria de homenagear um Ir.'. que além de ser um dos IIr.'. com maior idade natural, é ainda é ativo e regular desta Loj.'., que é o nosso Ir.'. Antonio Di Profio.

 

(em pé, do seu lugar) Caro Ir.'. Di Profio, a sua constante presença aos trabalhos desta oficina, apesar das dificuldades e problemas naturais determinados pelos anos carregados, nos dá o exemplo de que a idade não é, não foi e jamais será empecilho a quem deseja trabalhar em prol de uma maior felicidade para toda a humanidade, e ainda mais quando esse desejo e essa vocação brota espontaneamente do nosso coração como bem nos mostram os ideais maçônicos.

(o Ir.'. M.'.Cer.'. conduz o homenageado frente ao trono e convida um Lowton para se postar a frente dele, onde entregará o presente)

 

(caso alguém queira se manifestar e que seja relevante para a história da Loj.'., o V.'.M.'. poderá conceder a palavra)

 

VEN.'. -- E vós, que sois a maior autoridade maçônica presente, Resp.'. Del.'. do Ser.'.do Gr.'. M.'. na 9ª Região maçônica da GLESP, teríeis algo a dizer?

Autoridade -- Sim, V.'.M.'.

Caros presentes, todas as homenagens hoje prestadas foram merecedoras e tiveram o brilho natural e singelo de todas as homenagens maçônicas. Mas para completá-las temos que homenagear alguém que é imprescindível à vida do maçom, por ser a segurança da sua família, é o seu esteio e apoio nas dificuldades, quem lhe dá a serenidade necessária, é a sua companhia nas alegrias, é o seu amparo, a sua incentivadora, a sua parceira de todos os instantes, é a mãe dos seus filhos, é sua esposa, a nossa cunhada, que ausente fisicamente dos nossos trabalhos maçônicos, está espiritualmente presente mais do que qualquer outra pessoa, e é em quem sempre buscamos o nosso lenitivo quando retornamos ao nosso lar. E neste instante, aproveitando esta esplêndida oportunidade quero homenagear na esposa do V.'.M.'., todas as cunhadas desta Loj.'., que ao longo destes 36 anos sempre deram a sua quota de valor pela renúncia e compreensão.

(o Ir.'. M.'.Cer.'. conduz a cunhada para diante do Trono, onde a Autoridade procede a entrega de flores, e após as palmas, a conduz de volta ao seu lugar)

VEN.'. -- Neste Instante, para conhecimento de todos os presentes, irei ler uma relação de todos os IIr.'. que atualmente compõem o quadro da nossa Loj.'.

(Ler página 16 do livreto e depois os nomes dos Lowtons da Loja)

VEN.'. -- Ir.'. Orad.'., tendes a palavra para saudar os nossos convidados e autoridades maçônicas.

Orad.'. -- (faz a saudação)

VEN.'. -- Na Maçonaria aprendemos que ninguém conseguirá por si só atingir a verdade; somente com a participação de todos, como fazemos na Maçonaria, ação por ação, através de gerações, é que poderemos construir o Templo do amor e da verdadeira fraternidade universal; Por isso o maçom trabalha constantemente, porque ele também sabe que a satisfação do seu espírito está no resultado do seu trabalho. A Maçonaria é a única sociedade que possui o sentido da vida; fora dela, resta ao homem simplesmente viver e morrer. Mas, se adotar os princípios desta Ordem, se abandonar aos de seus ditos e deixar-se dirigir por eles, sentirá que ela, a Maçonaria, é um elo da imensa e invisível cadeia de amor cuja emanação vem do GADU. E esta Loja, esta oficina que completou 36 anos de ininterruptos trabalhos, sente-se imensamente feliz em ter podido comemorar essa efeméride e ainda mais, por contar com a honrosa presença de todos, que muito nos dignifica, e que, sem dúvida, mais faz crescer o nosso alento em busca de melhores e mais felizes dias para toda a humanidade.

Muito obrigado

VEN.'. -- Neste momento, como uma deferência, transfiro a condução dos trabalhos para a maior autoridade presente, que é o Del.'. do Ser.'. Gr.'. M.'. da GLESP, Ir.'. Jaime Ângelo Filho.

Autoriade -- (palavras de fechamento)

Saída do Pavilhão Nacional

(retorna o malhete para o V.'.M.'.)

Abóboda para saída na Ordem:

Autoridades e comitiva

Lowtons

Convidados

Encerramento Ritualístico

Desenvolvimento e manutenção